02

BAILE 

/ PANORAMA

SARONGUE

XI

SARONGUE

X

SARONGUE

VIII

SARONGUE

VII

RESUMO DA ÓPERA

O Baile do Sarongue é um grito de carnaval que acontece toda quinta-feira pré-carnaval. Teve início em 2008 como uma ação entre amigos, no Clube Guanabara, na cidade do Rio de Janeiro. Nômade, não possui endereço fixo. O local é divulgado somente na véspera. A partir de 2013, o ingresso é a Chave da Cidade-Sarongue.

A busca da Chave do Baile inicia o movimento, promovendo pontos de encontro em locais inesperados, anunciados na véspera, durante o mês de janeiro. Em paralelo, são desenvolvidas a concepção e elaboração das fantasias, individuais e coletivas. Na semana da montagem da instalação, muitos voluntários integram-se ao processo. A espiral de encontros transfere e catalisa a energia e o envolvimento de foliões e voluntários para o salão, finalizando o processo com a catarse da grande noite anual.

 

A festa reinventou o ritual carnavalesco de salão 

combinado com experimentação artística. Afirmamos a cada ano o compromisso com a tradição e com a inovação.

A partir de um tema escolhido, sempre associado ao devir do momento, artistas são convidados para criar as instalações que compõe a cenografia do Baile: Ernesto Neto, Franklin Cassaro, Janaina Tschäpe, João Modé, Lawrence Malstaf, Maria Lynch, Maria Nepomuceno, Ricardo Becker, Siri, Paulo Paes, Yohann Saura e Tatiana Bond e a dupla de arquitetos Israel Nunes e Pedro Évora, participaram das últimas 6 edições.